“Reciclagem animal” – Por Daniel Vilaça

Antes denominada como graxarias as fábricas de aproveitamento de subprodutos de origem animal eram bastante criticadas pelos seus métodos de aproveitamento da matéria-prima, processamentos e consequentemente do produto final (farinha de carne e ossos, farinha de sangue, sebo bovino).

Hoje, já chamado de empresas de reciclagem de subprodutos de origem animal, o setor está mais organizado. Um grande exemplo é a criação de Associações, como, a ABRA (Associação Brasileira de Reciclagem Animal) que foi criada em 2006 com o intuito de organizar o setor visando cada vez mais melhorias e despertando interesse ao público alvo.

Este tipo de reciclagem animal se tornou extremamente importante para o ecossistema, pelo fato de trazer riscos de várias ordens, como: riscos laborais, ambientais e a saúde pública. É de extrema importância o aproveitamento destes subprodutos, pois se não fosse aproveitados seriam transformados em poluentes de difícil trato e em focos de disseminação de doenças.

As indústrias buscando cada vez mais obter produtos de melhor qualidade, adotaram as Boas Práticas de Fabricação, que são medidas tomadas pelas indústrias com finalidades de garantir uma boa qualidade sanitária, padronização do produto e oferecer um produto confiável ao cliente.

Com grandes investimento e melhorias no setor de reciclagem, equipamentos próprios para o processamento, diretores de empresas com a mente mais aberta, buscando cada vez mais profissionais capacitados e capazes de atender melhor as necessidades da empresa e de seus clientes, uma vez que são cada dia mais criteriosos e exigentes. As fabricas de rações, os produtores rurais,todos os tipos de clientes consumidores, visa uma melhor qualidade do produto, e que torne seu trabalho mais otimizado e com menor custos de produção.

Para se ter um produto de boa qualidade, necessita que se eduquem os fornecedores, para que forneça os subprodutos frescos, sem contaminação e sem a presença de impurezas. A educação do dos fornecedores de matéria prima é de fundamental importância para que se tenha uma farinha de carne e ossos, sebo,farinha de sangue e vários outros derivados de subprodutos de origem animal, que seja capaz de fornecer todos os ingredientes possíveis que eles dispõem, gerando mais lucros ao cliente.

Os produtos resultantes da reciclagem de subprodutos de origem animal, possuem um alto valor nutritivo, um deles é a farinha de carne e ossos que se destaca nos níveis proteína, gorduras e minerais como cálcio e fósforo, além de ser economicamente viável e uma ótima alternativa a substituição da proteína de origem vegetal. São fontes alternativas que merecem estudos mais detalhados de modo a se obter o máximo de sucesso em sua utilização, uma vez que são matérias-primas de alto valor protéico.

– Daniel Moreira Vilaça, zootecnista e Pós Graduando em Produção de Bovinos Leiteiros

Fonte: https://www.aviculturaindustrial.com.br/imprensa/reciclagem-animal-por-daniel-vilaca/20100405-130316-f053

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *